CDtv, Tv na Internet, Rede Carlos dias de Comunicação Publicidade


Hoje é
BELEZA & ESTÉTICA CDtv BICHOS & CIA CDtv COMPORTAMENTO CDtv CURIOSIDADES CDtv HUMOR CDtv MODA CDtv NOTÍCIAS CDtv PARCEIROS CDtv REVISTA O MUNDO DO CINEMA CDtv MAKING-OFF
Notícias

Notícias

Fredi Jon – Músico, empresário e escritor

Nascido em São Paulo, Fredi Jon sempre se inclinou para as artes. Desde criança seus desenhos eram expostos na escola onde estudava e suas redações eram lidas para toda classe, até porque eram espontâneas.
Participou de várias antologias poéticas ainda no colégio nos anos de 1984, 1985 e 1986 pela editora Scortecci.
Em 1986 escreveu seu livro de poesia As diversas Faces dos Diferentes Mundos onde abordava  temas relacionados ao meio ambiente, as drogas, ao ser humano e a sociedade.
A partir de 1990 como contrabaixista e backing vocal dedicou seu tempo para música trabalhando com inúmeras bandas no cenário pop, country, sertanejo e rock, gravando com eles trabalhos em estúdios, video clipes, CDs e shows por SP e outros estados ate que em 1994 com a banda Lynx lançou seu primeiro CD no Brasil, Europa e Japão ganhando projeção  como melhor banda de hard rock de 1995 pelo premio meteoro de música.
Em 2000 montou sua empresa de eventos, e que se mantém até hoje, chamada Serenata & Cia, composta por sua trupe de seresteiros levando trabalhos corporativos e sociais, com os mais criativos  e diferentes modelos de homenagens, por atores e dançarinos que caminham  juntos quando o assunto é interatividade , alegria e emoção.
Neste ano esta escrevendo seu mais recente trabalho de poesia chamado Serenata: Uma ponte entre os mundos, abordando temas contemporâneos, polêmicos e falando sobre as diferentes gerações que caminham juntos nesta era digitalizada e imediatista conhecida também como mundo liquido pela filosofia.
Hoje apresenta seu programa no canal:  Programa Tocando o Oculto no youtube onde entrevista profissionais das mais variadas áreas ligadas a teosofia, ocultismo, saúde, ufologia, psicologia, educação, artes etc.

Governo anuncia plano com SP e RJ para conter vandalismo em protestos

Os governos federal e dos Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro anunciaram o aprofundamento e a integração das atividades de inteligência já existentes para mapear, lidar e punir atos de vandalismo em manifestações populares, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Após reunião com os secretários de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, e de São Paulo, Fernando Grella Vieira, o ministro afirmou que esses governos pretendem ainda discutir e firmar um protocolo de atuação das polícias.

São Paulo e Rio de Janeiro também pretendem propor alterações legislativas para, ao mesmo tempo, assegurar o direito à manifestação e evitar depredações e agressões.

"Não se trata de recrudescer sobre manifestantes, a manifestação é livre, vivemos num Estado Democrático de Direito", disse o ministro a jornalistas após a reunião.

"O que nós estamos falando é de situações ilícitas, de abusos", explicou Cardozo, referindo-se aos recentes episódios protagonizados por grupos de manifestantes mascarados que têm atuado em diferentes protestos e que entraram em confronto com as polícias do Rio e de São Paulo.

Os grupos, conhecidos como "black blocs", têm ganhado visibilidade desde as manifestações que levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas de diversas cidades do país em junho.

Dentre as medidas estudadas para criar um protocolo para as manifestações está a institucionalização de um acordo já cumprido informalmente em alguns casos: um acerto entre a polícia e os manifestantes sobre horário e trajeto dos protestos.

Segundo Cardozo, a partir do momento em que for articulado esse protocolo entre as polícias, será possível diminuir situações de abuso policial.

Nesta semana, a presidente Dilma Rousseff cobrou que a Justiça e os órgãos responsáveis impeçam a ação violenta de manifestantes mascarados e considerou esses atos uma barbárie.

TIM propõe reforma de estatuto e criação de comitê de auditoria

A operadora de telecomunicações TIM decidiu propor aos acionistas o reforço de sua governança corporativa com a criação de um comitê de auditoria estatutário com membros independentes e nomeados pelo Conselho de Administração da companhia.

A decisão ocorre em meio às especulações do mercado sobre a possibilidade de venda da companhia depois que a espanhola Telefónica fez acordo para assumir gradualmente o controle sobre a holding controladora da Telecom Italia, que, por sua vez, detém a operadora brasileira.

Segundo a proposta da diretoria da TIM, o comitê de auditoria estatutário terá entre as funções "aferir a equitatividade de todas as contratações da companhia ou suas controladas envolvendo partes relacionadas".

Ainda segundo a diretoria da TIM "a proposta está em linha com as principais recomendações dos códigos de governança corporativa, e busca tornar ainda mais rigorosos e efetivos os controles sobre transações dessa natureza, em prol da transparência exigida pelos investidores".

O comitê, atuará no âmbito da administração e serve ao Conselho de Administração, para suportar e assessorar suas responsabilidades de supervisão e monitoria, de acordo com a proposta.

O grupo funcionará em paralelo com o Conselho Fiscal da companhia, que exerce a função de fiscal para o acionista e presta contas à assembleia geral de investidores.

Além da criação do comitê, a proposta inclui alterações no estatuto social da TIM. Entre as mudanças está a que permite que a assembleia geral de acionistas seja comandada também pelo presidente do Conselho de Administração. Atualmente, a assembleia pode ser chefiada apenas pelo presidente-executivo da empresa ou procurador por ele designado.

Além disso, a proposta prevê aumento no número de diretores, passando de 2 a 9 para 2 a 12 membros.

Premiê russo diz que suspeita de espionagem "cínica" prejudica os EUA

Os Estados Unidos enfrentam um trabalho difícil para desfazer o dano causado pelas denúncias de que espionou líderes de países aliados, disse o premiê russo Dmitry Medvedev.

Reportagens de que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) grampeou o telefone celular da chanceler alemã, Angela Merkel, e conduziu uma ampla vigilância eletrônica em países como França, Itália, Espanha e Brasil, entre outros, desencadearam a indignação entre aliados norte-americanos.

"Não é muito prazeroso quando você é espionado... então os líderes estão com raiva. Eu os entendo", disse Medvedev em entrevista à Reuters na quinta-feira.

Medvedev sugeriu que espionagens do tipo não são incomuns, mas acrescentou que "é presumido que não seja feita de uma maneira tão cínica".

"A situação pode se acalmar? Eu acho que é possível. Mas para ser honesto, nenhuma afirmativa vai nos ajudar aqui", disse ele. "O que se pode dizer da situação? 'Desculpe, nós não vamos fazer de novo?' ou 'Nós não vamos tentar te ouvir em escutas?' Ninguém vai acreditar."

O escândalo de espionagem é consequência do vazamento de documentos secretos norte-americanos feito pelo ex-prestador de serviço da NSA Edward Snowden, que fugiu dos EUA e vive sob asilo na Rússia desde agosto.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, um ex-espião da KGB, disse que abrigaria Snowden somente caso ele parasse de prejudicar os EUA, e negou os apelos de Washington pela extradição do norte-americano, acusado de espionagem em seu país natal.

A decisão de conceder asilo a Snowden pareceu intencionada a ressaltar as acusações de Putin de que os EUA pregam ao mundo sobre direitos e liberdades, mas não praticam os mesmos princípios em casa.

Um parlamentar alemão disse ter se encontrado com Snowden em Moscou na quinta-feira e que o ex-prestador de serviço da NSA está disposto a colaborar com as investigações sobre as denúncias de monitaramento a Merkel por parte dos EUA.

As revelações de Snowden também abalaram as relações dos EUA com o Brasil. A presidente Dilma Rousseff cancelou uma visita de Estado que faria a Washington este mês após denúncia de que teve suas próprias comunicações pessoais monitoradas pela agência norte-americana.

Forças sírias capturam cidade perto de instalação de armas químicas, diz grupo

Forças do governo sírio capturaram uma cidade no norte do país perto de uma instalação ligada ao programa de armas químicas da Síria após dias de confrontos intensos, disse um grupo que monitora a violência.

A cidade, Safira, fica localizada também em uma estrada estratégica que pode ser usada para ajudar áreas controladas pelo governo em Aleppo, uma cidade grande nas proximidades. O local estava sob controle de rebeldes, incluindo alguns militantes ligados à Al Qaeda.

"Forças do governo tomaram o controle da cidade estratégica de Safira após dias de confrontos e bombardeios pesados", disse o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, sediado na Grã-Bretanha.

O Observatório, que monitora a violência na Síria através de uma rede de fontes espalhadas pelo país, não deu mais detalhes, e tampouco havia relatos sobre Safira na mídia estatal síria.

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), que possui equipes na Síria para eliminar as armas químicas do país, informou na quinta-feira que seus inspetores não puderam visitar dois locais considerados perigosos demais.

A Opaq não identificou esses locais, mas uma fonte com conhecimento das operações da entidade disse que um deles era em Safira, que fica a sudeste de Aleppo.

A instalação de armas químicas já estava sob controle do governo, mas foi esvaziada de equipamentos devido aos confrontos na proximidade, segundo a Opaq.

Notícias

ALEX MURAD, fazendo de BETO CARRERO WORLD

o lugar cheio de sonhos e magia

O empresário ALEX MURAD, está de parabéns, afinal continua levando para todas as crianças e adultos as belezas e sonhos idealizados pelo eterno cowboy BETO CARRERO.
Parabéns, BETO CARRERO WORLD graças a ALEX MURAD é sem dúvida o lugar ideal e verdadeira diversão em nosso Brasil.
BETO CARRERO WORLD está localizado em Penha/SC.


Publicidade
Link Parceiros
 
Rede Carlos Dias de Comunicação HOME | CONTATO | INSTITUCIONAL | PUBLICIDADE Produzido por Netdez
© 2003- | Todos os direitos reservados
Atualizado por Rede Carlos Dias de Comunicação.